08/04/2022 às 18h33min - Atualizada em 09/04/2022 às 00h00min

CHOCOLATE NA MADEIRA

Mulheres empreendedoras de Barueri provam que a parceria é modelo de sucesso na gestão empresarial, dentro e fora da economia criativa e solidária

SALA DA NOTÍCIA Daniele Globo
Fundação Alphaville
Caprichosa com cada detalhe da produção dos seus doces, a confeiteira Elsa imprimiu mais um diferencial aos seus produtos com a entrega em embalagens personalizadas, cuidadosamente confeccionadas para ela pela equipe da marceneira Jordânia. A parceria entre essas duas mulheres empreendedoras de Barueri, na grande São Paulo, tem mostrado, na prática, como essa troca funciona muito bem, agregando valor a todos os produtos envolvidos e fazendo a roda da economia criativa girar. O resultado é sucesso, tanto como modelo de gestão de negócios, como na viabilização de crescimento conjunto.
A gaúcha Elsa Detoni Fonseca, 58, e a baiana Jordânia Pereira da Silva, 53, vivem em Barueri há mais de dez anos e se conheceram dentro do movimento Objetivos do Desenvolvimento Sustentável de Barueri (ODS), e fizeram juntas o curso de Agentes de Sustentabilidade oferecido pela Fundação Alphaville na cidade. Atentas às novas possibilidades de fortalecimento dos seus negócios, em 2019 elas fecharam a parceria que, hoje, em função da boa colheita que têm tido, está em fase de ampliação e novos lançamentos para 2022. “Temos alcançado resultados cada vez melhores porque esse tipo de parceria só acrescenta e todos ganham. Uma parceria leva à outra e isso é fundamental”, comenta Elsa, dona da Dia do Doce, empresa especializada em produtos diversos como doces, chocolates, biscoitos, bolos, cestas personalizadas, festas e eventos em geral.
Com a confeitaria ainda funcionando dentro de casa, Elsa Fonseca trabalha com a ajuda do filho e compõe boa parte da renda familiar com suas delícias que, inclusive, ainda podem ser encomendadas para a Páscoa até dia 10 (domingo). Além das embalagens especiais feitas pela marcenaria da Jordânia, a confeiteira se orgulha por ter uma bandeja batizada com seu nome. “Dei à Jordânia todos os detalhes de como eu precisava da peça e, depois de pronta, ela colocou com meu nome. Uma alegria”, comemora. “O trabalho da equipe da Jô - como carinhosamente trata a parceira - é sensacional. Da chegada da matéria prima até a entrega do produto final, a dedicação, o cuidado e o profissionalismo deles é fantástico”, completa a confeiteira.

A madeira do chocolate
A matéria prima a que Elsa se refere são paletes que a cooperativa Marcenaria Ecológica Unindo Forças - fundada por Jordânia há mais de 20 anos - transforma em inúmeras peças, que vão de pequenas caixinhas a bancos. Criada a partir de uma necessidade pessoal da Jô, a cooperativa atua com seis pessoas e tornou-se referência local e regional de sucesso dentro da economia solidária e criativa, contando, hoje, com parceria de fornecedores como a L’oreal e a Embalagens Jaguaré, e de compradores que vão do consumidor comum a grandes empresas de diferentes segmentos.
“Por conta de uma enfermidade, perdi meu trabalho como faxineira e precisava encontrar um novo caminho para me sustentar e sustentar meus filhos. E o incômodo com a queima de paletes que ocorria próximo à minha casa e deixava tudo sujo, me fez pensar que eu poderia dar outra destinação àquele material. E assim, sem nunca ter pisado numa marcenaria, comecei, na cozinha da minha casa e com um braço só, a transformar as madeiras em novos objetos”, conta a risonha e destemida Jordânia, lembrando que, na época, ela estava com um dos braços engessado.
Instalada no bairro Vale do Sol, a cooperativa cresceu e se fortaleceu na base das parcerias diversas, como com a Prefeitura de Barueri, de onde recebeu a doação do terreno onde a Unindo Forças funciona e a ajuda para regularização da documentação necessária, e a Fundação Alphaville, com investimento em ferramentas e capacitação. “O trabalho de parceria é um investimento que não é em dinheiro, mas em valores humanos. É um trabalho que vai acontecendo, mas temos que estar em movimento porque com os braços cruzados, trancado dentro uma sala, esperando as coisas caírem do céu, não vai dar certo. É preciso se reinventar e abrir espaços de trocas”, fala Jordânia.
Ela destaca que as parcerias não precisam, necessariamente, acontecer dentro do mesmo segmento de atuação. “Elsa e eu descobrimos que dois setores diferentes como os nossos podem ser parceiros e trabalhar juntos. Muitos empresários não olham com atenção para as parcerias porque focam apenas nos seus produtos e não enxergam o mundo lá fora. Porém, para várias questões dentro de um negócio, a solução está nas parcerias”, pontua Jô, com tom professoral de quem aprendeu fazendo e sabe o que está falando.
E ela vai além: “no caso da Elsa, são produtos diferentes, mas nada me impede de trabalhar de forma parceira com alguém do meu ramo porque, às vezes, o resíduo da cooperativa vai servir como matéria prima de outro negócio e entramos, todos, na economia circular, que promove geração de renda e agregação de valor. E isso não interfere no meu mercado porque tenho foco no que faço. O outro empreendedor não é meu adversário. Ele é meu parceiro. Eu entendi que não ia para lugar nenhum se não fizesse essas conexões. Hoje, o trabalho é em rede”, ensina a marceneira.

A força do fazer com as mãos
Assim como Elsa Fonseca, Jordânia Pereira da Silva também é responsável por boa parte da renda de sua família, se orgulha de ter todos os filhos estudando (ou formados) e festeja a realização de um sonho: a formatura em Serviço Social, que ocorre ainda este ano. Mas isso não deve afastá-la da cooperativa, onde é a presidente. Pelo contrário: juntas, Elsa e Jô guardam a sete chaves uma nova surpresa da parceria comum, sempre destacando a importância da valorização do trabalho artesanal.
“Seja uma caixa ou um banco de madeira, seja um bolo ou um ovo de Páscoa, é muito diferente você comprar um produto pronto, industrializado, e comprar de um artesão, que faz tudo um por um, desde a escolha da matéria prima até a limpeza do espaço depois de tudo pronto. É um processo longo, feito com muito carinho, dedicação, amor e um trabalho direcionado e cansativo. Dêem valor aos artesãos e aos seus empreendimentos”, enfatiza Elsa. Para conhecer melhor a confeitaria Dia do Doce e a cooperativa Unindo Forças, entre contato com a Elsa e a Jordânia:

Dia do Doce
https://www.instagram.com/diadodoce_e.m/
11 | 4382-8136

Cooperativa Marcenaria Ecológica Unido Forças
Rua Orinoco, 03 - Vale do Sol, Barueri/SP
11 | 4194-0269
https://cooperativaunindoforcas.com.br/


Sobre a Fundação Alphaville
Sediada em São Paulo, mas com atuação em 23 Estados, a Fundação Alphaville - braço social da Alphaville Urbanismo - possui 21 anos de trabalhos realizados junto a comunidades em situação de desfavorecimento social e econômico, seja em áreas próximas aos investimentos da empresa ou não, a partir do estímulo ao protagonismo social. Qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), a Fundação soma mais de 260 projetos implantados, que beneficiaram mais de 500 mil pessoas em todo o Brasil. “Nossa experiência tem mostrado que a união da iniciativa privada com o setor público tem enorme potencial para transformar realidades sociais desfavoráveis, ao mesmo tempo em que promove desenvolvimento técnico e humano que impactam toda uma comunidade. Somente assim conseguimos atingir nossa missão, que é a de contribuir com cidades mais justas por todo o país”, salienta Fernanda Toledo, diretora executiva da Fundação Alphaville.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »