06/06/2023 às 18h11min - Atualizada em 07/06/2023 às 00h00min

Escola pública de Goiás cria projeto de escrita para conectar estudantes a sonhos e publica livros com mais de mil jovens escritores

Incentivo à escrita criativa e protagonismo juvenil promove o desenvolvimento socioemocional dos estudantes e conexão com novas perspectivas de futuro em escola pública de Ensino Médio Integral

SALA DA NOTÍCIA Amotara Agência de Notícias
https://www.sonhogrande.org/porque-ensino-medio-em-tempo-integral/pt
Divulgação

Para milhões de jovens brasileiros, o ensino médio representa o momento de refletir sobre suas vivências e projetar seus sonhos futuros, sejam eles pessoais ou profissionais. Pensando nisso, o CEPI Professor Pedro Gomes – escola de Ensino Médio Integral em Goiânia (GO) – criou o projeto Jovens Escritores. Em parceria com o projeto de vida (componente curricular que coloca o estudante no centro do processo educativo), a iniciativa mergulha no universo dos alunos da 1ª série do ensino médio, levando-os a reconhecer suas identidades, observar os papéis que exercem na comunidade, e pensar a respeito dos seus objetivos, obstáculos e dificuldades.  

Focado nos projetos de vida e no desenvolvimento das habilidades e competências socioemocionais, o Ensino Médio Integral estimula os estudantes a se tornarem jovens protagonistas e a criarem ações de impacto social. Foi a partir do contato com essa metodologia educacional que os professores decidiram trabalhar junto aos estudantes o desenvolvimento da escrita, pensamento crítico e formação da identidade.  

A professora de Língua Portuguesa Ludmyla Gomes, que coordena a ação, conta como o projeto começou: "O Jovens Escritores nasceu da necessidade de trabalhar a leitura de gêneros diversos entre os alunos, mas com o tempo se tornou uma ferramenta ainda maior de acolhimento e autodescobrimento para eles. O projeto também dá autonomia para que o estudante possa se descobrir como um escritor, enquanto registra acontecimentos da sua vida pessoal, que perpassam as suas diferentes relações, dentro e fora da escola", reforça.  

Por meio desse tipo de ação e também de pilares educacionais e ferramentas pedagógicas, como projeto de vida, acolhimento, tutoria, orientação de estudos e eletivas, as escolas de Ensino Médio Integral conseguem dar voz às vivências dos estudantes e, de forma ativa, escutarem os seus desafios e sonhos, tanto do presente como do futuro. Dessa maneira, os impulsiona a se planejarem desde agora para a vida, além de aproximar ainda mais o ambiente escolar dos jovens. 

Protagonismo e projeto de vida no Ensino Médio Integral 

A aluna Lara Ramos, estudante da 2ª série do ensino médio, publicou seu trabalho no livro do último ano e agora reflete sobre a importância dessa iniciativa para sua trajetória escolar:  

"A iniciativa teve grande impacto no meu projeto de vida. Antes de escrever, nós trabalhamos o assunto nas aulas, pensamos sobre nossas linhas do tempo, acontecimentos da nossa vida, além de outras atividades com o intuito de nos conhecermos melhor, o que nos ajuda a ter uma ideia sobre o futuro. Na minha carta eu contei sobre meus objetivos e como estava minha vida dentro e fora da escola. Também refleti sobre minhas expectativas e como eu me sentia em relação a tudo isso. De alguma maneira, me senti acolhida", relata. 

A temática dos livros é sempre voltada para a realidade dos estudantes. Em 2022, por exemplo, os alunos optaram por fazer um livro duplo: metade com cartas escritas para eles mesmos no futuro (com projeção de 10 anos), num diálogo/monólogo que expõe suas vivências e anseios pós-pandemia; metade composta por poemas, de estrutura livre, que transbordam sensibilidade e inquietações juvenis. 

"O projeto Jovens Escritores vai além da mera produção de texto. A partir dele, o aluno exercita o ordenamento das ideias, apresenta questões que lhe são necessárias e deixa transparecer dimensões importantes à percepção da sua autoimagem, nos proporcionando centralizar a abordagem educacional nos projetos de vida e no protagonismo juvenil", reforça José Neto, gestor. 

O projeto 

Ao todo, mais de mil estudantes participaram do projeto até o momento, que já realizou a publicação de sete livros, sendo quatros versões digitais e três versões físicas. Depois de lançados, alguns dos livros vão para os estudantes interessados, outros ficam na biblioteca para que toda a escola possa ter acesso, outros ainda são distribuídos para bibliotecas do estado para que mais estudantes possam ler e se interessar pelo projeto.  

Mas e agora, quais temas irão impactar a vida desses jovens em 2023?

Segundo informações do gestor, a edição deste ano já está sendo produzida a todo vapor e, mesmo sem um tema definido, os alunos e a escola seguem engajados na continuidade do projeto por meio das produções textuais.  

Confira a lista de livros publicados pelo projeto Jovens Escritores:     1) Entre rosas e espinhos: a juventude contada em poesia (impresso)   2) Primavera: crônicas da juventude (impresso)   3) Avessos: contos da juventude (e-book)   4) DiverCIDADE: contos de uma juventude em movimento (e-book)   5) Pandecontos: contos e relatos de uma juventude em isolamento (e-book)   6) Aurora: contos (e-book)   7) Retratos: cartas para o futuro/ Retratos: entre rimas e versos (impresso) 

O Ensino Médio Integral é uma proposta pedagógica multidimensional e moderna, nacional, pública e gratuita. A partir de um modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e ao desenvolvimento de suas competências cognitivas e socioemocionais, propõe a formação integral dos estudantes. Trabalha pilares como projeto de vida, aprendizado na prática, tutoria, protagonismo juvenil, acolhimento, orientação de estudos e eletivas, que promovem a formação completa do estudante, junto aos componentes curriculares já previstos na BNCC. Está presente em cerca de 6 mil escolas em todo o país, beneficiando mais de 1 milhão de estudantes. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »