19/10/2021 às 11h34min - Atualizada em 19/10/2021 às 11h34min

João Pessoa terá estacionamento rotativo em três áreas; veja valores

Tempo de permanência vai variar de acordo com a área. Na maioria dos casos, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora

Portal Correio
Projeto do edifício-garagem da Zona Ipê Branco (Foto: Divulgação)
A Câmara Municipal de João Pessoa apresentou, nessa segunda-feira (18), o projeto de ordenação de vagas e estacionamento rotativo que vai substituir a Zona Azul. Denominado Zona dos Ipês, o projeto prevê a oferta de 6.524 vagas, em instalações no Centro, em Mangabeira e em avenidas próximas à orla.

A líder do projeto e diretora da empresa responsável pela execução das obras, Roberta Borges Boaventura, explica que a Zona dos Ipês será dividida em categorias. O tempo de permanência vai variar de acordo com a área. Em quase todos os casos, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora.

Ipê Amarelo

Incluirá instalações no Centro e em Mangabeira. No Centro, serão disponibilizadas 3.937 vagas, com reservas para idosos e pessoas com deficiência. Já em Mangabeira, serão ofertadas 667 vagas e o projeto prevê remodelagem no tráfego, com uma via para veículos, uma para ônibus e uma ciclovia. Veículos poderão ficar até duas horas nos locais. A tarifa será de R$ 3 por hora.

Ipê Branco

Será uma área de integração do estacionamento rotativo com o transporte coletivo no Centro. O projeto prevê a criação de um edifício-garagem com 103 vagas. A permanência no local será de até cinco horas.

Para contemplar a integração com o transporte coletivo, está previsto no projeto uma nova rota de ônibus com um trajeto de 21 minutos com circulação apenas na região central, abrangendo o Parque Solon de Lucena e o Centro Histórico. Caso utilize o serviço de ônibus, o usuário do estacionamento rotativo terá que pagar tarifa de R$ 5. Se o transporte coletivo não for usado, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora.

“É um trajeto rápido com vários pontos de ônibus justamente para que a região central tenha um meio de transporte coletivo barato. Então a pessoa que vai ao banco e ao mercado, no lugar de parar várias vezes, ela tem a opção de deixar o carro no edifício garagem e utilizar o ônibus para circular nessa região central, diminuindo assim a incidência de poluentes, de veículos e melhorando a fluidez da região”, explica a líder do projeto.

Ipê Roxo

Serão as áreas de zoneamento turístico das avenidas à beira mar, com permanência de até cinco horas. Serão ofertadas 1.817 vagas. A tarifa será de R$ 3 por hora.

Tecnologia e sustentabilidade

De acordo com a diretora da empresa responsável pela execução do projeto, será criado um mapa em que o cidadão poderá consultar as vagas disponíveis antes mesmo de sair de casa para encontrar uma região mais tranquila, evitando assim o fluxo intenso de veículos. Roberta Borges acrescenta que o projeto também prevê a criação de um aplicativo para o comerciante, o Smart PDV.

“Aquele que tem um comércio na região do estacionamento rotativo e quiser fazer parte do projeto, vai poder baixar o aplicativo, fazer a compra antecipada dos créditos para ganho de 20% das vendas que ele realizar. Nosso projeto prevê no mínimo um ponto de vendas a cada 50 vagas, que dá menos da metade de um quarteirão”, afirmou.

Outra tecnologia a ser utilizada é a Optical Character Recognition (OCR), sistema de fiscalização em que câmeras fazem a leitura automática das placas dos carros.

“A ferramenta promove segurança e há a possibilidade de integração dessas câmeras com sistemas de segurança pública. Assim, é possível verificar se você tem um veículo roubado ou irregular na Zona dos Ipês, com isso você consegue automatizar a fiscalização do trânsito de João Pessoa”, explica Roberta Borges.

O projeto prevê a instalação de parquímetros para o controle do estacionamento rotativo. Será possível o pagamento com dinheiro em espécie e por cartões de crédito e débito. Haverá plantio de uma árvore para cada cinco vagas na Zona dos Ipês.

O investimento inicial para a realização do projeto é de R$ 15 milhões. O acordo com a Prefeitura Municipal prevê outorga inicial mínima de R$ 300 mil e a mensal de 5% do faturamento do estacionamento, que serão destinados à Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob).



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »